menu close menu

Nós dois

Costumo dizer que ele é a materialização do que eu pedi a Deus. Muitas vezes achamos que as coisas devem acontecer do nosso jeito e no nosso tempo, mas não é bem assim. Nós dois não somos assim. Nos conhecemos em meados de Set/2008, através de uma amiga comum. Ele se encantou ao meu ver numa foto desses sites de relacionamentos, mas eu passava por um período novo em minha vida e não queria, naquele momento, me relacionar com alguém. Vivíamos em “mundos” diferentes, e nosso meio era completamente oposto. Ele, na época, estudante de Relações Internacionais e eu estudante de Administração. Eu, pernambucana, mas residente em Salvador por motivos de trabalho dos pais. Ele, Alemão, residente em Salvador devido aos estudos, enquanto sua familía reside- até hoje- em Feira de Santana-BA. Essa amiga foi um “cupido”, ou melhor O cupido para nós. Depois de muito insistir e de várias vezes dizer “ele é um gentleman”, cedi a essa nova “aventura” e encarei o desafio: “Viver uma nova história”. Trocamos e-mails, telefones e fomos nos conhecendo. Comecei a curtir aquele momento e todas as sensações que a “paquera” nos traz, frio na barriga, coração acelarado, ansiedade e -no meu caso, distonia ( chamamos assim para um tipo de problema que gera muito suor nas mãos, ou/e nos pés). Durante um bom tempo conversamos, em outro momento saímos para nos conhecer (que sensação “gostosa”), mas não foi dessa vez que nos envolveríamos de verdade. Nossas vidas tomaram sentidos opostos mais uma vez. Nos distanciamos mesmo! (pausa e nada de “nós dois”.)

Em Abril/2009 voltamos a nos falar, mas eu precisava vê-lo para ter certeza do que sentia e se o que sentia era suficiente para começar a me relacionar (sou complicadinha, mas é bom às vezes). Nos reencontramos num almoço e o prato principal era o meu favorito, “Filé a Parmegiana”, mas eu já estava curtindo a sobremesa desde antes, um papinho delícioso com alguém especial (tive essa certeza).

Ah, mas para tudo estar numa paz, tiveram contratempos. AAAAh que dia tenso >/

1º Aquele encontro já havia sido remarcado inúmeras vezes.

2º Não sabia qual seria minha reação, muito menos o que me esperava lá. E eu, como administradora, aprendo que devemos ser planejados nas ações, afim de minimizar as “surpresas” de um negócio. Mas ali não dava, mesmo.

3º O que usar? Qual perfume, qual roupa, qual acessório? Estilo “menina romântica”, ou “mulher madura”??? Dúvidas ¬¬

4º Meu carro, podre. O lava a jato atrasa, no salão demora ( e era uma quarta-feira!!!!), minha carteira some do nada. Como vou pagar a lavagem do carro, o salão e minha parte do almoço?

*Calma!! Ele pagou, mas eu tinha que estar previnida, sei lá, vai que fosse 50% de cada. Nunca se sabe!! (Administradora). Minimizar as surpresa, né? (mas achei a carteira.)

5º Esses contratempos levaram uma hora de atraso e ele ligava, mas eu já não tinha cara de atender =/

6º Borboletas no estôgamo me deixava desnorteada e geravam mais dúvidas: Isso tudo é Fome, ou nervosismo? #saco Não sabia.

7º Termino de me arrumar no carro. Perfume na bolsa e maquiagem também. Aquele calor fez com que a “base” não secasse rápido para fazer o acabamento com o pó. Calma, tem ar-condicionado, né? Liga no máximo, mete a cara na frente dele e pára o relógio para não se stressar mais. Maquiagem feita, tudo prontinho. Perfume, depois de “suar” um pouco, nunca se sabe se o cheiro estará dos melhores, então, para garantir, aquele perfuminho básio (Lovely- Sarah Jessica Parker) Nosso preferido até hoje =)

8º Com uma hora de atraso vocês acham que eu ia procurar vaga para estacionar? NADA DISSO. Vai no manobrista mesmo, que para minha alegria, era cortesia aêêêê o/o/o/o/

9º Entrar no restaurante e procurar ele. Mas procurar respirando suavemente e sem deixar perceber que, até então, você estava num “caos”.

10º Achei. Tava alí, lindo e sem nehuma expressão de insatisfação pela demora ( até hoje, viu? Não era pra conquistar não). Ele me recebe com um sorriso “singelo, me cumprimenta e diz: “Oi, você está linda”. (Reconhecimento é tudo, né meninas?) Sem demorar ele percebeu meu coração acelerado e pergunta se estou nervosa. Quem, eu? Magiiina. Claro, veja o que passei até chegar aqui!!! Pensa que ser mulher é fácil? ( só pensei, tá? Não falei isso). Apliquei a filosofia dos pinguins de madagascar “sorria e acene”. “Não, estou bem”.

E passamos horas conversando, rindo e nos conhecendo mais. Ali foi um momento em que pude sair do “tudo igual” e viver algo novo, com alguém “antigo”. Ficamos de “paquerinha” durante algumas semanas. Começamos a namorar no mês seguinte, mas ali que foi o início de “nós dois”. 
Depois de um ano e três meses de namoro, voltei para Recife e encaramos um desafio: namorar à distância. Desafios nos fazem crescer, mas precisamos estar preparados. E estávamos! Apesar das dificuldade de um namoro à distância, nossa história é nova a cada dia. É uma delícia. Hoje são novas ansiedades, surpresas, medos, plano, ações que fazem parte de nós. A expectativa para o reencontro é fantástica e, quando nos encontramos, ahhh como é bom. Me apaixono pelo mesmo homem a cada dia e de uma forma diferente. Amo o que vivo e faria tudo de novo se preciso. Sei que ainda vamos caminhar por uma looonga estrada, para poder dizer “Enfim, nós”, mas, além do Deus que servimos que é poderoso para fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos, nós escolhemos nos amar. E Amar é uma decisão, uma escolha.  E, amar alguém vai além de limites geográficos. Vale a pena!
Nós dois somos assim;  pessoas diferentes, com projetos individuais (casais precisam ter suas particularidades), mas que desfrutam algo em comum: O mesmo amor. Amor esse que motiva nossas atitudes para chegarmos num único objeto: o “Enfim, sós“.